12.2.10

WORLD PRESS PHOTO 2010; UMA VISTA DE OLHOS.

 


   


 
 De cima para baixo; A manifestante iraniana Neda Agha-Soltan jaz baleada num frame de video amador; "Matadouro" de Tommaso Ausili, e "Katie, Hungry Horse, Montana" de Pieter Ten Hoopen.

Os prémios World Press Photo (WPP) de 2010 tiveram nesta edição alguns pontos dignos de nota. O mais interessante, é a atribuição de uma menção especial a um still frame  de um video amador rodado nos motins pós-eleitorais iranianos, e que o Youtube popularizou globalmente. Sobretudo por David Griffin, membro do júri, se dizer "agradado por o WPP  ter aberto caminho a imagens não-profissionais com significativo impacto no registo histórico visual". Estamos perante o que me parece ser um primeiro ( e lógico e inevitável) passo da veneranda instituição em direção ao cada vez mais inelutável fenómeno do jornalismo visual praticado pelo cidadão-repórter. Abstenho-me de repisar as vantagens que o grande público pode (ou não) tirar deste fenómeno, e os prejuízos e os riscos que não cessam de se agravar para o fotojornalista de "on the spot" e "hard news".
É também curioso verificar que o grande prémio desta edição, também ele captado nas eleições iranianas, situa-se nos antípodas formais do murro no estômago do anterior, parecendo configurar uma vontade do júri de aproximação a um registo mais subliminar, que por seu turno não será certamente consensual entre vasto número dos profissionais.


Trabalho de cidadão repórter é o que não é o ensaio do italiano Tommaso Ausili, 3º classificado de reportagem na categoria  de temas contemporâneosA sua série de um matadouro,  por onde passa a sombra de um terrível humor negro, faz-nos olhar com outros olhos para o bife no nosso prato, funcionando como um surreal e poderoso manifesto vegetariano. Fotografia de causas pura e dura.

Sobreveio-me também no meio desta e das outras habituais imagens-choque, o 2º lugar da categoria de retratos do holandês Pieter Ten Hoopen. É sempre bom ver que, também para o WPP, no meio da carnificina continua a haver lugar para a paixão erótica.
Fim-de-semana prolongado à porta, boa ocasião para ver tudo isto.

2 comments:

  1. muito sangue, muito horror, muita criatura monstruosa sempre no WPP. Esta é, claro, a opinião de profunda desconhecedora na matéria, mas há outras perspectivas interessantes para fotografar, não? outros temas, outras abordagens? Este WPP é muito previsível. bahh!
    ( espero que não tenha lá nenhuma foto sua, caso contrário, retiro já tudo o que disse :)

    ReplyDelete
  2. De facto, sobretudo as categorias de "hard news" que documentam uma
    realidade essencialmente violenta, têm um registo choque, difícil de escapar, e que de repetido "ad nauseum" se acaba por tornar previsível. Nisso é interessante como espelho da banalização do horror a que de há muito a esta parte somos submetidos. Mas vê as categorias de artes e espectáculos, retratos e assuntos quotidianos; encontras lá coisas bem mais surpreendentes. Beijos querida amiga.

    ReplyDelete