26.7.09

As gémeas do nosso contentamento
















Da esquerda para a direita, Diane Arbus, Identical Twins, New Jersey, 1967; Mary Ellen Mark, Heather and Kelsey Dietrick, 7 years old, Kelsey older by 66 minutes, 2002
A propósito do aniversário da morte de Diane Arbus, é interessante reflectir que por vezes em fotografia, se aplica na perfeição o adágio "quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto".
Atente-se na assombrosa e assombrada imagem de capa da mítica monografia de Arbus publicada pela Aperture em principios dos anos 70. As inquietantes gémeas, com a sua estranheza de mãos, sorrisos de Gioconda e pose de meninas do "Shining", fazem uma daquelas fotos que nunca se esquecem.
Passados 30 anos outra grande fotógrafa, Mary Ellen Mark, visitou em dois anos consecutivos um "festival" de gémeos (e de trigémeos e de quadrigémeos e por aí adiante), a ocorrer numa localidade apropriadamente chamada Twinsburg. Recolheu lá material para "Twins", um dos seus mais celebrados livros, publicado pela mesmíssima Aperture Foundation.
Não sei se as gémeas de 1967 foram o leitmotiv para o projecto de 2002, mas sei que se acreditasse no além não podia deixar de achar que o espirito de Arbus pairou nas sessões de Twinsburg sobre os ombros de Mary Ellen Mark, sussurrando os segredos de quem sabe que a aparencia humana é uma máscara.

No comments:

Post a Comment